terça-feira, 23 de março de 2010

Inexplicável



Adormeces nas palavras o sentido que as anima,
acordas nos sentidos o prazer inconsequente...
Aqueces dentro de ti o meu desejo,
inventas-me um nome para uma outra identidade...
Tudo em mim deixa de ser-me,
nestas paragens onde tu deambulas
na tua nudez ostensiva e possessiva...
Gemes de prazer dentro do meu silêncio...
Talvez, existam mil olhos a observar-me,
talvez, consigas levar-me contigo,
para longe dos meus fantasmas de criança... 


Barão de Campos

Sem comentários: